Ingles terapia.jpeg

Já pensou em fazer Aulas de Inglês como Terapia?

Além de oferecer tratamentos e cursos na área de bem-estar, queremos capacitar pessoas para que alcancem e consigam manter um nível de equilíbrio do ponto de vista holístico, com uma abordagem simplificada que seja acessível a todos os públicos.

Mas o que o Inglês tem a ver com saúde?

Tudo! Aprender um novo idioma te mostra a vida sob uma nova perspectiva. Alivia a ansiedade, o estresse, a tensão, melhora o sono, a concentração, o humor, a motivação, a autoestima, te abre novos horizontes e possibilidades de crescimento. Esses foram os benefícios observados em MINHA vida, mas se você busca algo mais palpável e científico, dê uma olhada nesta matéria de Humberto Abdo, publicada pela Revista Galileu em 27 Dez 2016.

Ele diz que, além de poder assimilar outra linguagem e cultura, outros benefícios são comprovados através de estudos:

  1. Você desenvolve melhor suas habilidades multitarefa;

  2. Os riscos de ter Alzheimer ou demência diminuem;

  3. Sua memória também é fortalecida;

  4. Melhora a capacidade de tomar decisões;

  5. Sua percepção fica mais aguçada;

Se você se interessou pelo aprendizado do inglês como terapia, clique aqui.

 

O aprendizado do Inglês foi determinante para meu crescimento pessoal e profissional. Já trabalhei em escolas de idiomas como: Fisk, PBF e CNA e aprendi muito em cada uma delas. Conheci profissionais maravilhosos nos quais tento me espelhar cada vez mais até hoje.

Minha proposta com as aulas particulares de inglês é um pouquinho diferente das propostas tradicionais, pois meu foco está em fazer com que os alunos aproveitem cada momento de seu aprendizado, entendendo e visualizando o impacto benéfico na saúde que o mesmo provoca e, não somente ensinar a gramática, o vocabulário ou outras regras do novo idioma.

Sendo assim, deixo aberta aqui a proposta de Aulas de Inglês como terapia anti estresse, ou seja, procurando transformar muitas vezes uma "obrigação profissional" (nos casos de pessoas que "precisam" estudar por causa da profissão, por exemplo) em uma atividade prazerosa e relaxante, com o foco no bem-estar emocional do aluno.

Conheço métodos como o Communicative Approach, ESA, PPP, mas a experiência me diz que cada pessoa tem o seu jeito e seu momento, então independente da metodologia, o que importa primeiramente é a motivação de cada um. Em algumas situações, mesmo com muita motivação, é preciso mesclar um pouquinho de cada método criando, muitas vezes, uma nova técnica para atender a necessidade específica de cada um. Além disso, aprendi com as práticas holísticas (embasadas pela filosofia budista, em sua maioria) que o melhor caminho é sempre o caminho do meio (fazendo uma alusão a um dos ensinamentos de Buda).

Tem dificuldade para aprender Inglês?

Talvez o problema esteja em definir primeiro um motivo gratificante para esse aprendizado. Você pode estar focando no aprendizado como obrigação e não como prazer ou recompensa. Que tal tentar mudar o foco?

Sente-se estressado e quer tentar uma nova opção de terapia anti-estresse?

Deixando claro que as aulas de inglês oferecidas, não têm nada absurdo, porém são ministradas por uma Profissional da área Holística que se preocupa em oferecer, além das aulas, dicas e informações sobre como aproveitar essa oportunidade para melhorar sua qualidade de vida, entre outros benefícios.

Como são as nossas aulas de inglês?

Personalizadas de acordo com a característica pessoal e do objetivo de cada aluno. Por esse motivo, pode ser necessária (ou não) a adoção de um material didático específico. Mas primeiramente, vamos traçar um Plano de Ação e identificar possíveis mudanças necessárias em sua rotina para que o aprendizado seja efetivo. As aulas podem ser presenciais ou online e com horários a serem definidos.

Você sabia que apenas 5% da população brasileira sabe se comunicar em inglês?

De acordo com levantamento feito pela British Council, 95% dos brasileiros não sabe falar inglês, ou seja, apenas 5% da população brasileira sabe se comunicar em inglês - e, destes, apenas 1% apresenta algum grau de fluência. O Brasil é o 41º colocado num ranking de 70 países, ficando abaixo de outros países latino-americanos como Equador, Chile, Peru e México. (Leia a matéria completa aqui)

Estudo: Benefícios Para a Saúde, de Ser Um Multilíngüe

Um estudo realizado pelo Departamento de Tradução e Interpretação da Universidade de Qafqaz em Khirdalan, Azerbaijão diz que aprender novos idiomas promove modificações anatômicas no cérebro (isso mesmo!! O formato físico do cérebro pode ser modificado pelo simples fato de aprende novos idiomas, pois essa ação serve como uma espécie de exercício de "musculação" só que para o cérebro). O estudo concluiu que entre os muitos benefícios proporcionados, destacam-se resumidamente:

1) Aumento do fluxo sanguíneo para o cérebro.

2) Combate o envelhecimento cerebral e mantém o cérebro mais jovem por mais tempo.

3) Melhora as habilidades cognitivas - memória, concentração, atenção, aprendizado.

4) Retarda o início da Demência.

5) Protege contra o Mal de Alzheimer.

Além disso, falar diferentes idiomas, nos proporciona a oportunidade interagir com pessoas de diferentes culturas, nos permitindo enxergar o mundo e a vida sob novas perspectivas.

Mesmo se você não aprendeu um novo idioma até a meia idade, isso ainda pode te ajudar a afastar a Demência. Ser bilíngue é uma maneira de manter seu cérebro ativo. Funciona como um exercício cerebral. Quanto mais melhor e, mesmo que seja só um pouquinho também ajuda. Esse estudo mostra que o cérebro precisa de exercícios e, quanto mais multilíngue, mais multifuncional ele se torna.

 

Clique aqui para saber mais sobre o funcionamento do cérebro.

*Fonte: Nusrat Shikhbabayev. Health Benefits of Being Multilingual. International Journal of Education, Culture and Society. Vol. 1, No. 1, 2016, pp. 1-4.

Estudo disponível em: http://article.ijecs.org/pdf/10.11648.j.ijecs.20160101.11.pdf

Navegue pelo menu e visite todas as páginas. Já temos artigos sobre imunidademassagens, Reiki, Alimentação saudável, saúde emocional, acupuntura, fibromialgia, aulas particulares de inglês e muito mais.

 

Caso tenha alguma dúvida ou sugestão ou interesse em fazer aulas de inglês ou algum dos cursos ministrados pela Dra. Kátia Ramalho, preencha o formulário de interesse abaixo e entraremos em contato assim que tivermos uma data definida.

Dicas para o estudo de um novo idioma

Motivação

Motivação não é algo que você simplesmente decide ter. Não é como um interruptor de liga/desliga dentro de você, que você pode ​mudar de desliga para liga quando quiser.

Motivação na verdade, é a consequência de seu propósito de vida, seus objetivos, seus valores, seu ambiente e seu estilo de vida. Você não pode decidir mudar sua motivação diretamente, mas você pode fazer algumas mudanças em outras áreas de sua vida, que vão influenciar a sua motivação.

Homem forçado

Se você precisa lutar para encontrar motivação para estudar inglês, este é um grande desafio. Este é o tipo de motivação que faz com que pessoas se matriculem na academia e paguem pelo pacote anual no dia 2 de Janeiro, mas que acabam frequentando duas ou três vezes durante o ano todo. Isso é falsa motivação. A falsa motivação geralmente vem de outras pessoas e desaparece tão rápido quanto surgem. A motivação verdadeira vem de dentro e requer tempo, trabalho e dedicação para ser desenvolvida.

O fato mais importante de tudo isso, é que não é difícil desenvolver e manter a motivação, mas é muito fácil acabar com ela. Várias coisas podem acabar com nossa motivação: um professor ruim, um trabalho que nos toma muito tempo, um bebê recém-nascido que não dorme direito, preocupações financeiras, vícios em video games e redes sociais e tantas outras. Então você tem que cuidar da sua motivação com bastante carinho.

 

Você precisa pensar sobre muitos aspectos da sua vida, não somente questões relacionadas ao estudo. E isso vale para qualquer área. Somos a mesma pessoa, independente de assumirmos papéis diferentes em ambientes diferentes. O corpo, a mente e a Essência pertencem à mesma pessoa, então não pense nas esferas da vida separadamente. Procure sempre adotar uma visão holística e verá sua vida ser alavancada (em todas as áreas).

Trace metas atingíveis e cumpra-as. Não saber traçar metas é uma das melhores maneiras de DETONAR sua motivação para aprender um novo idioma, por exemplo.

Se você traçar metas do tipo: "Eu quero falar como um nativo." ou "Eu quero falar um inglês impecável." Isso, muito provavelmente vai assassinar sua motivação. Mas vamos parar e pensar um pouco... Pra quê falar impecavelmente?? Por que parecer um nativo??? Pretende trabalhar na CIA, FBI ou algo assim? Pois se a intenção não for essa, então não há explicação para traçar uma meta deste tipo. E isso vale para os pais que colocam as crianças bem cedo nos cursos de idiomas, para que a criança aprenda a "falar como um nativo". Isso só gera estresse e ansiedade na criança e corre-se um sério risco de que ela crie um bloqueio no aprendizado, pois ela pode não conseguir falar como um nativo e ela vai perceber isso e vai se frustrar. Então, aprenda a traçar metas menores e alcançáveis. O fato de a pessoa falar inglês com sotaque estrangeiro, significa apenas que ela fala DOIS idiomas e nada mais. Pense nisso!

Nunca se compare com um falante nativo

 

E não foque em falar perfeitamente. Em vez disso, apenas se faça a seguinte pergunta: "Como posso melhorar?"

 

Assim, você não pega tão pesado com você mesmo, pois seu foco estará em passos simples e concretos como: aprender e melhorar. E nada é melhor para a sua motivação do que sentir que está fazendo progresso.

A Influência do meio em que vive

Outro ponto muito importante a ser considerado é seu ambiente. Sua motivação depende bastante do ambiente em que você vive, ou seja, onde mora, onde trabalha, o tipo de trabalho que realiza, com quem conversa todos os dias, como passa seu tempo livre e assim por diante.

 

Uma pessoa que trabalha em contato com o idioma, que ouve músicas, assiste filmes e tem amigos nativos do idioma em questão para poder praticar, terá muito mais motivação para aprender do que quem não tem nenhuma outra forma de contato com o idioma, ou ainda, que não veja uma necessidade real para esse aprendizado.

Portanto, se esse é o seu caso, tenha em mente que é possível! Tudo vai depender da sua determinação para fazer as mudanças necessárias.

Como encontrar tempo para estudar

Esse é um dilema que assombra boa parte das pessoas que querem aprender um novo idioma. A verdade é que o momento perfeito, sob as condições perfeitas NUNCA vão chegar!

 

Nós temos que fazer o que pudermos com o tempo do qual dispomos. Fácil? Também NUNCA será, mas também não é impossível. Então aqui vão algumas dicas que funcionaram para mim e, com certeza terão algum proveito para vocês:

Primeiro, sugiro que defina o grau de prioridade que aprender o idioma, representa em sua vida. Se tiver uma prioridade alta, você encontrará mais facilmente, maneiras de estudar. Então decida por mergulhar de cabeça e com certeza terá um sucesso bem maior que o esperado.

Segundo, faça mudanças em seu ambiente e rotina. Aproveite todo o pouco tempo que tem, para introduzir alguma atividade relacionada ao idioma. Se tem 10 minutos, então já dá para ouvir de duas a três músicas, assistir metade de um episódio de desenho infantil, ler algumas páginas de um livro, etc.

 

Se não tem nem um minuto sequer, use o tempo que gasta para chegar ao trabalho (ou para tomar banho ou enquanto cozinha, lava roupas, etc) e ouça músicas.

Como estudar sozinho

Música

Crie uma playlist só com músicas no idioma que você está aprendendo e use todo o tempo livre que você tiver, para ouvi-la. Coloque a música na sua rotina diária: para dirigir, andar de ônibus, lavar louça, tomar banho, etc. A música é o meio mais acessível de contato com o idioma, dessa maneira você está acostumando seus ouvidos com a pronúncia e sonoridade das palavras e isso melhorará consideravelmente sua habilidade auditiva de entendimento. Dou exemplo do inglês, pois é o único idioma que falo além do português, mas isso vale para qualquer idioma.

Vídeos

Hoje em dia temos a facilidade dos aplicativos de transmissão de vídeos, como o YouTube e Netflix, nos quais podemos encontrar os mais diversos tipos de material.

Básico - Se você está começando agora, recomendo que inicie por desenhos animados infantis (mas tem que ser infantis mesmo! rs). Cuidado com desenhos como Shrek, The Simpsons, South Park, etc. pois são desenhos para adultos na verdade, então o vocabulário tem o mesmo nível (ou até mais elevado) do que um filme. Então, minhas sugestões são: Backyardigans, Cry Babies, Caillou, Dora - A Aventureira (Dora-The Adventurer, Pocoyo, Patrulha Canina (Paw Patrol) e muitos outros no mesmo estilo, pois têm episódios curtinhos e o vocabulário é de um nível, geralmente, bem básico. As opções são infinitas! Então, como fazer: escolha um episódio e o assista em português, pode até ser enquanto estiver fazendo alguma outra coisa, tipo arrumando suas coisas, roupas, bolsa, sei lá, o mais importante é entender o que está acontecendo no episódio. Depois que entendeu toda a história, assista mais uma vez, porém com o áudio em inglês e legenda em português (mas, no caso desse tipo de desenhos, pode até ser com a legenda em inglês mesmo, pois assim você já se familiariza com a escrita, a pronúncia e a imagem), mas desta vez pare tudo o que está fazendo e preste atenção nas imagens e na história, pois, como você já ouviu o áudio e já sabe do que se trata a história, ao ver as imagens você vai associar com a fala. Então, assista quantas vezes mais julgar necessário até que se sinta confortável com o som da fala. Não precisa entender absolutamente tudo o que estão falando, mas você vai perceber que vai começar a gravar algumas palavras soltas, dependendo da situação que está ocorrendo no vídeo. Por exemplo, você ouve a palavra "RUN" e vê que os personagens começam a correr, então você vai associar que "run" tem algo a ver com fugir, correr, ser rápido ou algo parecido. E assim, sem perceber, vai aumentando seu vocabulário instintivamente e sem sofrimento.

Intermediário - Recomendo o TED Talks, um canal no YouTube (tem aplicativo também) no qual são transmitidas palestras sobre diversos temas (algumas curtinhas, outras mais longas). Elas geralmente têm a transcrição do áudio e as legendas em diversos idiomas. Outras opções são programas de entrevistas (Talk Shows) no estilo dos programas brasileiros da Marília Gabriela, Danilo Gentili, Jô Soares, etc. Gosto bastante de: The Ellen Show (apresentadora Ellen DeGeneres), The Tonight Show Starring Jimmy Fallon, Late Show (apresentador David Letterman, ele não apresenta mais, mas tem vários episódios no Youtube).

Séries e filmes

 

Pegue um episódio daquela série (ou filme) que você ama​ e que já até decorou as falas dos personagens e assista novamente, porém com o áudio em inglês e a legenda em português. Preste atenção na fala. Assista umas duas vezes assim e depois coloque a legenda em inglês também e assim, prossiga conforme citado acima. Logo logo você estará com um vocabulário bem enriquecido. Tem frases que aprendi em séries ou livros e que até hoje me recordo exatamente do episódio no qual eu ouvi pela primeira vez, sempre que as ouço novamente.

Livros e artigos

A leitura e a audição, são habilidades de input, ou seja, atividades de absorção ou "entrada" de informações. Quanto mais informações você absorver, mas facilidade você terá com as demais habilidades, que são de output, ou seja, de saída ou produção, como a escrita e a fala onde você vai usar toda a informação adquirida para "construir' algo (conversa ou um texto). Sem abastecimento suficiente, a produção será escassa também. Não há milagres. Então abasteça-se com o máximo de informações possível e só assim conseguirá melhorar sua fala e sua escrita.

Básico - os livros da editora Penguin Readers são classificados por nível e alguns têm o CD de áudio de leitura do texto. Tem algumas histórias que são baseadas em clássicos, adaptadas para o nível de vocabulário ao qual está indicado e ainda tem exercícios de pré e pós-leitura. Me ajudaram bastante no início, principalmente os que vêm com o áudio, pois como é uma leitura do texto, nos dá uma noção da pronúncia (Britânica, normalmente) e da entonação. Esses livros tem desde o nível A1 (mais básico) até o B2 (intermediário), segundo a classificação Européia (CEFR). Outros tipos de texto, recomendo que sejam de sites próprios para o aprendizado de idiomas e, de preferência, que disponibilize a leitura em áudio. Porém, vale sempre se arriscar um pouquinho mais, pois só assim avançará. Não permaneça em sua zona de conforto por muito tempo.

Intermediário - procure textos de sites que tenham assuntos de seu interesse, como por exemplo, relacionados à sua profissão, ou ao seu hobby, sua banda favorita ou esporte ou filme. Arrisque! Quanto mais ousado mais rápido avançará. Nesse nível, você já tem autonomia para praticar a conversação, então tome a iniciativa de procurar pessoas/grupos com quem você possa praticar. Se o seu trabalho lhe proporciona esse contato, verifique com seu gestor a possibilidade de te incluir em alguma atividade relacionada. Procure nas redes sociais, grupos que tenha o mesmo interesse que você. Eu gosto muito de filmes da Marvel, então entro em grupos americanos relacionados ao tema e converso através de comentários nas postagens mesmo. Esses grupos, normalmente, têm regras de conduta que exigem respeito entre os participantes e não permitem discriminação com falantes não nativos do idioma.

Como aumentar o vocabulário

Para começar, eu coloquei uma etiqueta em cada objeto da minha casa (liquidificador, geladeira, fogão, guarda-roupas, porta, janela, etc.), depois coloquei no carro, depois no ambiente de trabalho, a assim fui fazendo para todos os ambientes nos quais eu estava mais ligada no dia-a-dia. Dessa maneira, você não precisa traduzir, pois o nome em inglês já vai estar associado à figura real e isso facilitará para que você memorize e não esqueça mais.

Outra dica é, a partir do momento que você tomou conhecimento daquela palavra ou frase em inglês (ou no idioma que está aprendendo) tente formar, pelo menos três frases com ela ou, no caso das frases, tente usá-la em algum contexto.

Música - olha ela aí de novo. A música é a melhor aliada de quem está aprendendo um novo idioma, portanto use e abuse. Além do que ela ajuda na sua estabilidade emocional, então use isso a seu favor. Crie um playlist com músicas que te proporcionem bom humor e alegria, assim você tornará o processo mais leve e prazeroso. Mas como aprendo vocabulário com música?

Pegue uma frase qualquer, as mais interessantes são as frases que compõem o refrão, pois são repetidas várias vezes e mesmo que você não se lembre a música toda, você provavelmente lembrará o ritmo do refrão. Pois bem, pegue essa frase e procure entender o significado dela. Caso não consiga entender sozinho, veja a tradução (da frase toda. Não busque palavra por palavra no dicionário, pois pode não encontrar o mesmo significado que tem na música). Após você entender o significado dessa frase, você já terá memorizado, além da frase, as palavras que a compõem individualmente.

Exemplo: Música do Michael Jackson (Heal the World)

Refrão: "Heal the World, make it a better place..." .

Significado: "Cure o mundo, faça dele um lugar melhor..." 

 

Com isso eu, além de aprender o significado da frase toda, eu já memorizei as palavras e sei, mais ou menos, o que cada uma significa, ou seja, só com essa frase eu já memorizei umas 6 palavras. (em uma única frase, de uma única música). Então imagine quando aprendo a cantar uma música inteira (ou várias delas).

Como melhorar a pronúncia ou fluência

Conforme já mencionado, a fala e a escrita são atividades de "produção". Eu só consigo produzir algo, após ter acumulado uma base suficiente de informações que me permita produzir. Então, quanto mais eu ler e ouvir, melhor será minha fala e minha escrita. Pois bem, ainda tem a questão do treino e do costume. Se você não SE OUVIR falando, ou seja, se seus ouvidos não se acostumarem com o som da SUA PRÓPRIA VOZ falando em outro idioma, você dificilmente conseguirá alcançar a fluência, pois vai soar estranho demais e você vai começar a gaguejar.

 

Outra questão é relacionada a parte física da fluência, ou seja, sua boca tem que se acostumar com os movimentos necessários para se reproduzir os sons da pronúncia no novo idioma. Então, treine sozinho, lendo em voz alta os textos dos sites que eu menciono logo à seguir (os que disponibilizam a reprodução da leitura em áudio). Leia o texto uma vez, ouça a leitura acompanhando o texto e depois leia em voz alta. De preferência, grave sua leitura, para comparar com a leitura do áudio, assim poderá avaliar e melhorar sua pronúncia aos poucos.

Um exercício bem legal para melhorar a fluência é, depois de realizar o procedimento acima, cronometre sua leitura e anote o tempo. Então, repita a leitura de uma maneira mais rápida e anote novamente. Tente, a cada nova leitura, quebrar seu próprio recorde. Assim, você verá que sua facilidade em falar aumentará consideravelmente, mesmo sem ter alguém com quem praticar.

Outro exercício legal é simular uma conversa (você pode pegar modelos de perguntas para entrevistas de emprego, por exemplo). Faça a pergunta e simule a resposta verbalmente, como se você realmente estivesse sendo entrevistado. Mas esteja ciente de que, se alguém o vir, poderá se assustar. (rs) Então, já "evite a fadiga" e explique de antemão que é apenas um exercício para a prática do idioma.

​​

Sites recomendados

Randall's ESL Cyber Listening - Textos ou diálogos escritos com disponibilização do podcast para exercícios de leitura, audição e interpretação de texto, pois tem questionários relacionados ao texto.

ESL Video - Ativdades de vídeo.

iSL Collective - Atividades interativas com vídeos, muito interessantes. 

ESL Games plus - Jogos divertidos em inglês para vários níveis.

Pronuncian: American English - contém atividades de leitura e audição com a reprodução do áudio. Está focado na pronúncia do inglês americano.

Canais do YouTube legais para seguir

Papa Teach Me - o Professor se chama Ally. Ele é de Londres e tem o sotaque Britânico. Dá dicas sobre inglês britânico de uma maneira bem lúdica e divertida. Aos domingos ele faz uma transmissão ao vivo e sempre seleciona alguns espectadores para participar da aula. Ele não fala português, mas tema opção de legenda automática na maioria de seus vídeos.

Speak English with Vanessa - a Professora se chama Vanessa. Ela é da Carolina do Norte, nos Estados Unidos e dá aulas e dicas sobre diálogos reais, com vocabulário e expressões que são verdadeiramente usadas na conversação cotidiana atual dos americanos. Canal e site com dicas muito boas para melhorar fluência e conversação.

Ask Jackie - é uma Professora americana, que morava no Brasil até bem pouco tempo, mas voltou para os Estados Unidos. Então ela fala português e apresenta dicas, não só com relação à gramática, mas também sobre as diferenças culturais que ela mesma observou e estranhou quando se mudou para cá. É um canal mais indicado para níveis mais iniciantes, mas contém dicas e curiosidades bem interessantes para todos os níveis, principalmente tratando-se da questão cultural.

English in Brazil - é uma Professora brasileira, chamada Carina Fragozo, que dá dicas de inglês também voltadas às diferenças culturais, bem parecido com o canal Ask Jackie. E, como ela é brasileira, as dicas são bem voltadas para as nossas dificuldades específicas. Então é bem legal, principalmente para iniciantes, mas indicado para todos os níveis também. Ela tem um livro que publicou recentemente, com dicas bem interessantes também.

Bob The Canadian - estilo parecido com o da Vanessa, citado acima. Bob é um professor que dá dicas sobre o inglês canadense (para quem não sabe, existem diferenças bem grandes, principalmente no vocabulário entre essas quatro versões do inglês: americano, canadense, britânico e australiano). Ele mora em uma fazenda e vai explorando o local, dizendo os nomes das coisas e expressões comuns usadas em cada situação. Bem educativo, principalmente para adquirir um vocabulário mais variado.

English with Lucy - Lucy é uma professora do Reino Unido, que foca em dar dicas de pronúncia, vocabulário e expressões do inglês britânico. Bem parecido com o canal do Ally (Papa Teach Me).

Mmmenglish - Emma é uma coach de inglês, australiana que ensina dicas de expressões e técnicas para falar inglês de uma maneira mais natural, reduzindo o sotaque estrangeiro.

Oxford Online English - é uma escola de inglês britânico online. Postam vídeo aulas semanalmente, sobre assuntos variados e muitos voltados à dicas para quem vai fazer algum teste de proficiência, como o IELTS. Dicas muito valiosas e legal pois são professores nativos, mas que têm uma pronúncia bem clara e falam em uma velocidade moderada que facilita bastante o entendimento. Aliás, todo esse texto foi baseado em dicas do canal Oxford.

Vídeos interessantes

Th sound + Tongue Twisters - Trava-línguas em inglês para desenvolver a habilidade de pronúncia. Ele aborda a pronúncia do "TH", que é um som que não existe no português, por isso nós brasileiros temos muita dificuldade no início.

ONE language, THREE accents - UK vs. USA vs. AUS English! - fala sobre as diferenças entre vocabulários das versões americana, britânica e australiana do inglês.

5 steps to improve your English fluency - dicas de como melhorar a fluência no inglês.

10 Different Ways to Say "Thank you!" In English! - Learn English Vocabulary - ensina 10 maneiras de agradecer em inglês, ao invés de dizer apenas "thank you".

Learn the Cockney accent with Jason Statham - para alunos de níveis mais avançados. Ally mostra as principais características de pronúncia e entonação do sotaque típico de um habitante de Londres, conhecido como Cockney accent.

How to relax your accent part 1 - também para níveis mais avançados. Emma é uma coach de inglês, australiana que dá dicas de como falar com um sotaque mais natural.

Navegue pelo menu e visite todas as páginas. Já temos artigos sobre imunidademassagens, Reiki, Alimentação saudável, saúde emocional, acupuntura, fibromialgia, aulas particulares de inglês e muito mais.

Caso queira saber mais, entre em contato e mande seu questionamento aqui.

arrow&v
arrow&v

Obrigado pelo interesse!

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram