Fibrobialgia.png
Fibromialgia
A Fibromialgia é uma síndrome musculoesquelética, com condição crônica comum envolvendo dor generalizada, sintomas cognitivos, sono não reparador, fadiga e uma série de sintomas somáticos juntamente com a redução da qualidade de vida. Essa dor não tem origem inflamatória e sua etiologia ainda é desconhecida. A síndrome da fibromialgia acomete cerca de 2 a 3% dos brasileiros e a maioria desses casos acometidos acontecem mulheres entre 35 e 50 anos.
 
Ela é considerada uma síndrome e não uma doença, pois se caracteriza por um conjunto de sintomas e sinais que além da dor, pode incluir formigamento, fadiga, irritabilidade, enxaqueca, cólon irritável, pernas inquietas e distúrbios do sono. Logo, a forma como ela se manifesta varia de um portador ao outro e cada caso pode requerer um tratamento diferente.
 
Alguns gatilhos da fibromialgia são trauma físico, trauma emocional, doenças infecciosas, perdas prolongadas sono, modificações hormonais, mudanças climáticas ou outros como doenças auto-imunes, como por exemplo a artrite reumatoide. Mas as mais comuns são os traumas físicos e emocionais.
 
Existe no geral, algo como um círculo vicioso, pois o músculo dolorido se contrai e a tensão ocasiona mais dor, que produz mais contração o que gera fadiga muscular e, consequentemente, maior dor. As dores atrapalham o sono e, por sua vez, o sono de má qualidade aumenta a dor...
A percepção da dor crônica é significativamente influenciada pela interação entre os processos fisiológicos, psicológicos e sociais. Estudos demonstram que as emoções interferem na modulação da dor, logo os fatores psicológicos têm um papel preponderante nas manifestações da fibromialgia, por essa razão ela foi classificada na lista das desordens de espectro afetivo, assim como enxaqueca, a gastrite nervosa e a síndrome do cólon irritável que são apenas controladas e não curadas.
Causas possíveis segundo a Medicina Tradicional Chinesa
  • Invasão de Vento, podendo estar associado a outros patógenos como Frio e Umidade.
  • Excesso de trabalho com repouso insuficiente (promove desgaste da energia geral).
  • Sono irregular (desgasta o Qi do Rim).
  • Alimentação desregrada (desgasta o Qi do Baço-Pâncreas e Estômago, gerando umidade).
  • Ingesta de líquidos insuficiente (debilita o Xue e Jin Ye)
Diagnóstico
O diagnóstico é clínico, ou seja, não existe um exame específico para identificação, portanto o médico baseia-se em observações dos sintomas associados a alterações de exames e evidências clínicas para diagnosticar. O diagnóstico deve ser bem cuidadoso para que não ocorra a confusão com outras condições, como é o caso da síndrome da fadiga crônica, sendo que esta não apresenta os pontos dolorosos pelo corpo que a fibromialgia apresenta e suas dores também são muito mais casuais.
 
Existe um mapa de 11 pontos sensíveis que constitui apenas um critério para diagnóstico e padronização das pesquisas científicas, logo se você apresentar 9 ou 10 pontos dolorosos somados a outros sintomas característicos, pode ser considerado um candidato à síndrome e deve procurar um médico para que ele possa analisar e fechar o seu diagnóstico, porém, durante esse processo de exames e análises, você já pode buscar, entre as terapias integrativas e complementares, estratégias e técnicas que ajudarão a amenizar os sintomas e o desconforto. Pois na visão holística (como é o caso da Medicina Tradicional Chinesa) o foco do tratamento é o bem-estar do paciente e não a doença, ou seja, para tratar-se por Acupuntura, Reiki, Shiatsu, Terapia Flora (entre outras terapias holísticas), não é necessário um diagnóstico médico.
Mapa de Pontos Alarme para Fibromialgia
tenderpoints.jpg
Fonte da imagem: https://www.praxis-am-fuerstenhof.de/fibromyalgie/symptome/tenderpoints.html
Tratamento
Ao tratar a doença procuramos aliviar a dor, diminuir a ansiedade, obter uma melhora significativa no sono e recuperar a qualidade de vida, pois quando diminuímos todos esses sintomas o paciente com fibromialgia retorna a participar de suas atividades, o que já promove uma melhora na sua autoestima e só isso já promove um grande avanço nos resultados.
O tratamento medicamentoso consiste na administração de analgésicos, ansiolíticos e antidepressivos, além de relaxantes musculares e deve ser indicado pelo médico. E, o tratamento não medicamentoso consiste em:
  • Adotar uma alimentação saudável;
  • Reduzir consumo de cafeína e álcool;
  • Buscar aporte psicológico;
  • Acupuntura;
  • Massagem;
  • Técnicas de relaxamento;
  • Meditação;
  • Praticar atividade física de baixo impacto, como Pilates, Yoga, Tai Chi Chuan, Qi Gong, Lian Gong, entre outras;
  • Ter uma boa noite de sono;
  • Reiki;
 
Acupuntura e Fibromialgia
Já existem evidências de que a acupuntura (técnica praticada há mais de cinco mil anos pela Medicina Tradicional Chinesa) é eficaz como coadjuvante no tratamento de diversas síndromes dolorosas, entre elas a fibromialgia, pelo seu efeito na modulação da dor aumentando os níveis de serotonina. Assim como a eletroacupuntura, técnica que aplica a corrente elétrica nas agulhas inseridas e potencializa o efeito analgésico desse método milenar.
Shiatsu e Fibromialgia
O Shiatsu é uma terapia japonesa que associa técnicas manuais do Japão à teoria da Medicina Tradicional Chinesa. Os princípios do Shiatsu são basicamente os mesmos da Acupuntura, porém ao invés de agulhas, são realizadas manobras de pressão e massagem para o estímulo dos pontos e, consequentemente, desbloqueio dos canais energéticos.
Reiki e Fibromialgia
Considerado um processo meditativo, o Reiki vai contribuir, principalmente para o controle emocional do paciente, pois ao receber a terapia o paciente vai, gradativamente aprendendo a introduzir a meditação em sua rotina diária e isso faz com que ele vá condicionando a sua mente à manter-se no momento presente, contribuindo assim, para a redução dos níveis ou das crises de ansiedade, insônia, preocupação, agitação, estresse e outras queixas emocionais.
Dica de Pontos para Automassagem
Sabemos que pessoas acometidas por problemas de saúde que se agravam pelo estresse emocional, como é o caso da Fibromialgia, tendem a estar mais fragilizadas nesse período delicado que estamos enfrentando por causa da Pandemia da COVID-19, por esse motivo, selecionamos quatro pontos de acupuntura que são muito utilizados para amenizar dores relacionadas a queixas emocionais.
 
Esses pontos podem ser massageados pelo próprio paciente com a ponta dos dedos (indicador, médio ou polegar), como é feito em algumas técnicas orientais de massagem.
Procedimento para a automassagem:
A pressão a ser realizada no ponto, deve ser de média intensidade (nem tão forte, nem tão fraca) e associada à respiração profunda.
1. Coloque a ponta do dedo sobre o ponto;
2. Pressione e conte lentamente: 1..., 2..., 3...;
3. Diminua a pressão e conte novamente (no mesmo ritmo);
4. Volte a pressionar o ponto;
5. Repita o processo de 3 a 5 vezes em cada ponto.
Recomendamos que a pessoa permaneça sentada ou deitada durante essa prática, pois ao praticar a respiração profunda, é possível que a pessoa sinta tontura leve.
Procedimento para Respiração profunda:
1. Sente-se em uma posição confortável - com as costas e os pés bem apoiados e joelhos flexionados.
2. Inspire - conforme o ar vá entrando, force seu abdome para fora (estufe a barriga) e encha os pulmões. Coloque dentro deles, a máxima de ar que você conseguir.
3. Expire - conforme o ar for saindo, vá forçando seu abdome para dentro (encolha a barriga, como faz quando vai tirar foto), até que os pulmões fiquem completamente vazios. Faça isso lentamente.
4. Vá repetindo o processo enquanto durar a massagem nos pontos.
Pontos a serem estimulados através da automassagem. Quanto à localização, achamos mais apropriado que se orientem pelas imagens, já que a intenção aqui é apenas a pressão no ponto e não a puntura com agulhas:
IG4 - Este é um ponto analgésico muito importante que afeta todo o corpo, principalmente na região da cabeça e pescoço (dores de garganta, alergias, dores musculares, etc.), além da indicação no controle emocional, pois ele acalma o Shen (Mente). O ponto IG4 tem diversas outras indicações, sendo considerado um dos pontos "coringas" entre os Acupunturistas, porém como o foco aqui é a analgesia e controle emocional, vamos nos ater a isso. Atenção: não é recomendado o estímulo deste ponto durante a gestação. Localização: 
IG4.jpeg
ig04.jpeg
IG11 - Assim como o ponto IG4, o IG11 também tem diversas outras aplicações, mas com relação à analgesia, ele é um ótimo ponto para tratar dores no cotovelo e antebraço e também ajudar na regulação do funcionamento intestinal.
IG11.jpeg
ig 11.jpeg
VC17 - Melhora a respiração, desobstrui o fluxo de energia e tira a sensação de aperto no peito. Muito útil em situações de crise de ansiedade, tensão emocional ou até mesmo crises respiratórias como bronquite e asma, pois promove o relaxamento emocional e acalma a mente. Localização: Na linha média, ao nível dos mamilos, no 4º espaço intercostal. Tenha cuidado ao pressionar, pois esse costuma ser um ponto bem sensível e dolorido.
VC17.jpeg
E36 - Também é considerado um dos pontos "coringas" da acupuntura. Ele, entre inúmeras outras indicações, fortalece o sistema imunológico, regula a digestão e estabiliza o Shen (Mente) e as emoções. Exerce um forte efeito na harmonização da psique. Localização: 3 cun abaixo da base inferior da patela e 1 cun lateral à borda tibial no músculo tibial alterior. (Traduzindo: sente-se em posição confortável e seguir as imagens abaixo. Mais ou menos quatro dedos "do paciente", abaixo da borda inferior da patela, que também conhecemos como "rótula do joelho", e a largura de um polegar "do paciente" para o lado de fora, com relação à parte mais alta da tíbia, o osso mais proeminente da perna).
E36.jpeg
E36 2.jpeg
E36 1.jpeg
Navegue pelo menu e visite todas as páginas. Já temos artigos sobre imunidademassagens, Reiki, Alimentação saudável, saúde emocional, acupuntura, fibromialgia, aulas particulares de inglês e muito mais.
Esperamos que tenham gostado das dicas e gostaríamos de saber como foi a experiência de vocês após a automassagem. Clique no botão abaixo e deixe seu feedback.
REFERÊNCIAS
Goldenberg E. O coração sente, o corpo dói: como reconhecer e tratar a fibromialgia. Editora Atheneu. 6ª Ed. São Paulo - 2014.
Foseca CL. Pilates aplicado à fibromialgia. Editora Ideograf. 1ª Ed. Porto Alegre - 2020.
Hecker H-U, Steveling A, Peuker E, Kastner J, Liebchen K. Tradução: Hennemann TLA. Atlas Colorido de Acupuntura: pontos sistêmicos, pontos auriculares e pontos gatilho. Editora Guanabara Koogan. Rio de Janeiro - 2007.
Mapa de pontos alarme para fibromialgia. Disponível em: https://www.praxis-am-fuerstenhof.de/fibromyalgie/symptome/tenderpoints.html. Acesso em: 01Mai2020.
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram